Imagens mostram destruição provocada por terramoto nas Filipinas

epicentro do sismo ocorreu numa área montanhosa da província de Abra, declarou o responsável do Instituto de Vulcanologia e Sismologia filipino, Renato Solidum.

Entre os mortos estão um homem atingido pela queda de placas de cimento na sua casa em Abra, onde pelo menos 25 outras pessoas ficaram feridas.

Também um trabalhador da construção civil morreu na cidade montanhosa de La Trinidad, na província de Benguet, onde algumas estradas ficaram intransitáveis devido a deslizamentos de terras.

Muitas casas e prédios ficaram com as paredes rachadas, incluindo algumas que desabaram em Abra, para onde o Presidente filipino, Ferdinand Marcos Jr., que assumiu o cargo há menos de um mês, planeja viajar na quinta-feira para se encontrar com as vítimas e autoridades locais.

A magnitude do terramoto foi revista de 7,3 para 7, após uma análise mais aprofundada e, segundo o Instituto de Vulcanologia e Sismologia filipino, foi desencadeado pelo movimento numa falha local a uma profundidade de 17 quilómetros, sendo esperados mais tremores secundários.

As Filipinas situam-se ao longo do “Anel de Fogo” do Pacífico, um arco de falhas tectónicas em redor do Oceano Pacífico, onde ocorre a maioria dos terramotos do mundo. Além disso também é atingido por cerca de 20 tufões e tempestades tropicais a cada ano, tornando-se um dos países mais propensos a desastres do mundo. Em 1990, recorde-se, um terramoto de magnitude 7,7 matou quase duas mil pessoas no norte do país.

Fonte: SIC NOTÍCIAS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.