Suspeito de matar Thayna em Itapema é ouvido pela polícia

Ele nega ter causado a morte dela. Thayna Antônio de Araújo, de 24 anos, foi achada sem a parte de cima da roupa e com sangramento no nariz.

Um homem de 44 anos suspeito de envolvimento na morte de Thayna Antônio de Araújo, de 24 anos, foi ouvido pela Polícia Civil na tarde desta quarta-feira (27). Segundo o delegado Aden Claus, responsável pelo caso, ele negou ter causado o óbito. Após ser ouvido, ele foi liberado.

Thayna foi encontrada morta e seminua às margens de uma rua de Itapema, no Litoral Norte catarinense, no domingo (24). Ela estava sem a parte de cima da roupa e com sangramento no nariz. O resultado parcial do laudo sobre a causa da morte indicou edema agudo pulmonar. Porém, ainda faltam resultados de exames complementares para saber o que causou o edema.

O suspeito tem antecedentes criminais. Ele se apresentou à polícia e foi ouvido pelo delegado.

“O suspeito estava com ela na noite dos fatos, em que ela morreu. Diz que ela morreu de overdose, que ele viu ela morrendo de overdose”, afirmou Claus.

Causa da morte

A polícia aguarda o resultado de mais laudos para ter certeza sobre a causa da morte. “É possível que possa ser realmente a overdose. A pessoa que estava com ele, o suspeito, disse que ela morreu de overdose, que ela usou muita cocaína”, afirmou o delegado.

Os laudos apontaram também que a jovem não sofreu violência.

“Ela tinha uma lesão no supercílio, mas não violência sexual, violência de esganadura ou de marca de faca, tiro, esse tipo de coisa”, disse o delegado.

Amigos lamentam perda

Amigos da jovem lamentaram a morte. “Seu coração esgotou todas as batidas que tinha para dar. Bateu pouco, mas bateu intensamente”, publicou uma amiga no Instagram.

Outra jovem declarou o amor à amiga com uma foto, também divulgada no Instagram. “A ficha ainda não caiu que perdi você”, escreveu.

publicidade

De acordo com o delegado, a vítima era natural de São Paulo, mas morava na região de Itapema. Thayna completou 24 anos em 7 de abril. Na ocasião, amigos também se manifestaram nas redes sociais para homenageá-la.

Em uma das publicações, ela foi definida como uma pessoa amiga, boa mãe e que corre atrás de seus objetivos. “Que você alcance tudo que deseja, sabe que eu te amo e sempre que precisar estou aqui para você”, uma amiga escreveu.

A polícia informou que Thayna levava consigo uma bolsa e pertences, como celular, documentos, uma máquina de cartão de crédito e cinco pacotes de preservativos. Além do sangramento no nariz, não havia outros sinais aparentes de violência.

Fonte: G1

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.