Nevasca, ventos e frio de -20°C na Argentina e mortes e calor de 40°C na Europa 

Argentina registrou nesta terça a sua menor temperatura oficial de 2022 até agora na localidade de Maquinchao, quase -20°C, bem diferente da Europa que sofre com  o for calor. Em Portugal foi registrado mais de mil mortes relacionadas ao calor.

A Argentina teve hoje a sua menor temperatura do ano até agora na rede oficial de estações do Serviço Meteorológico Nacional com quase 20ºC abaixo de zero.

A mínima nacional ocorreu na cidade de Maquinchao, que pela sua topografia na província de Río Negro, costuma ter marcas extremamente baixas, semelhante ao que ocorre em Urupema no Sul do Brasil. A temperatura na localidade desceu a 19,9ºC negativos.

A temperatura caiu abaixo de zero hoje cedo também em cidades do chamado conurbano, a área metropolitana de Buenos Aires. A mínima no Aeroporto Internacional de Ezeiza foi de 1,2ºC abaixo de zero. Já na cidade de Buenos Aires, o Serviço Meteorológico Nacional registrou uma mínima de 3,6ºC no observatório central de Villa Ortúzar. As atenções se voltam agora para a Patagônia que tem experimentado um mês de julho de muito frio e grande quantidade de neve. O Serviço Meteorológico Nacional da Argentina emitiu um alerta de um grande temporal de vento e neve na região com rajadas que podem atingir ou passar de 130 km/h. Algumas áreas devem ter ainda muita neve e chuva intensa. O aviso inclui o Oeste da província de Santa Cruz, Chubut, Neuquén e Río Negro.

Frio de -20ºC e alerta de nevascas e vento de 130 km/h na Argentina

Onda de calor na Europa

Há dois anos, um estudo, realizado pelo Met Office, serviço nacional de meteorologia do Reino Unido, estimava que, em 2050, o verão teria temperaturas de 40ºC, mas os termômetros indicam que já nesta terça-feira (19/07) essa previsão pode se confirmar.

Diversos países da Europa divulgaram alertas sobre ondas de calor; termômetros ultrapassaram 40°C na semana passada.

Menos de um mês após o início do verão no hemisfério norte, diversos países da Europa sofrem com uma onda de calor extremo.

Há dois anos, um estudo, realizado pelo Met Office, serviço nacional de meteorologia do Reino Unido, estimava que, em 2050, o verão teria temperaturas de 40ºC, mas os termômetros indicam que já nesta terça-feira (19/07) essa previsão pode se confirmar.

Fonte: MetSul, CNN e EM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.